1, 2, 3 e já!

Archive for the ‘Curiosidades’ Category

Já teve curiosidade de saber a origem dessas expressões? Olha aí!

NAS  COXAS

As primeiras telhas do Brasil eram feitas de argila moldada nas coxas dos escravos.
Como os escravos variavam de tamanho e porte físicos, as telhas ficavam desiguais.
Daí a expressão fazendo nas coxas, ou seja, de qualquer jeito.

VOTO  DE MINERVA

Na Mitologia Grega, Orestes, filho de Clitemnestra, foi acusado de tê-la assassinado.
No julgamento havia empate entre os jurados, cabendo à deusa Minerva, da Sabedoria, o voto decisivo.
O réu foi absolvido, e Voto de Minerva é, portanto, o voto decisivo.

CASA  DA MÃE JOANA

Na época do Brasil Império, mais especificamente durante a menoridade do
Dom Pedro II, os homens que realmente mandavam no país costumavam se encontrar num prostíbulo do Rio de Janeiro cuja proprietária se chamava Joana. Como, fora dali, esses homens mandavam e desmandavam no país, a expressão casa da mãe Joana ficou conhecida como sinônimo de lugar em que ninguém manda.

CONTO  DO VIGÁRIO

Duas igrejas de Ouro Preto receberam, como presente, uma única imagem de determinada santa, e, para decidir qual das duas ficaria com a escultura, os vigários apelaram à decisão de um burrico. Colocaram-no entre as duas paróquias e esperaram o animalzinho caminhar até uma delas.
A escolhida pelo quadrúpede ficaria com a santa. E o burrico caminhou direto para uma delas…
Só que, mais tarde, descobriram que um dos vigários havia treinado o burrico, e conto do vigário passou a ser sinônimo de falcatrua e malandragem.

A  VER NAVIOS

Dom Sebastião, jovem e querido rei de Portugal (sec XVI), desapareceu na batalha de Alcácer-Quibir, no Marrocos. Provavelmente morreu, mas seu corpo nunca foi encontrado.
Por isso o povo português se recusava a acreditar na morte do monarca, e era comum que pessoas subirem ao Alto de Santa Catarina, em Lisboa, na esperança de ver o Rei regressando à Pátria. Como ele não regressou, o povo ficava a ver navios.

NÃO  ENTENDO PATAVINAS

Os portugueses tinham enorme dificuldade em entender o que falavam os frades italianos patavinos, originários de Pádua, ou Padova.
Daí que não entender patavina significa não entender nada.

DOURAR  A PÍLULA

Antigamente as farmácias embrulhavam as pílulas amargas em papel dourado para melhorar o aspecto do remedinho.
A expressão dourar a pílula significa melhorar a aparência de algo ruim.

SEM  EIRA NEM BEIRA

Os telhados de antigamente possuíam eira e beira, detalhes que conferiam status ao dono do imóvel.  Possuir  eira e beira era sinal de riqueza  e de cultura.
Estar  sem eira nem beira significa que a  pessoa é pobre e não tem sustentáculo  no raciocínio.

Invenções

Posted on: 25/02/2010

O blog “No puedo crer” traz uma porção de invenções, algumas malucas, outras com muito sentido, mas todas muito criativas.

Adorei essas:

Cada uma que o povo inventa né…

Quem não tem uma história engraçada de nome pra contar??
Pra começar, tenho um amigo de nome Poliester (oi Poli, blz? rs) e um primo que se chama Resigno.

Tive uma professora na faculdade e hoje amiga, que se chama Dacianne. Ela deu sorte, o nome ficou bonito depois que seus pais tiveram a brilhante e inédita  idéia de juntar nome de pai+nome de mãe, não lembro os nomes originais agora.

Traumas a parte, hoje me deparei com o Namemasher. Nada de ficar quebrando a cabeça pra escolher nome de filho, isso é coisa do passado. Coloque o nome do pai em um campo e o da mãe em outro e….

nomes

Que tal??
Muriline, Alirillo e Muralin

O primeiro é meiguinho mas me recuso… rs
O segundo não consigo nem falar, parece trava-ligua e último parece nome de remédio kkk

Se meus pais seguissem o exemplo da minha ex-professora eu poderia me chamar, quem sabe,  Valdimari,  Mariadion ou Marivaldi.

Ah, depois que fizer seu teste, me conte, por favor! =]

Achei no Wwwhats´s new?

barra

O IBOPE Mídia mostra o resultado dessa pesquisa.

Alguns tópicos interessantes:
* O cartão de crédito é reconhecido como um trampolim para o consumo, e nem sempre a fatura é paga integralmente;

* Os vencedores de promoções não convencem 69% dos consumidores a comprarem mais do que precisam;

* Enquanto mulheres gastam cerca de 12% a mais que os homens, 11% dos consumidores contraíram empréstimos nos últimos 12 meses, em sua maioria, homens;

* Experiência anterior e familia são as principais fontes de informação na decisão de compra;
Clique aqui e veja a pesquisa na íntegra.

P.S: Aqui, entenda por consumidor aqueles que realizaram alguma compra nos úlitmos 30 dias (exceto alimentos e bebidas).

Gente, tudo virou conteúdo mesmo né?

Sabe aquelas fotos borradas, desfocadas, nada a ver que a gente apaga?
O DeletedImages tem centenas delas.

Tags:

Já viu (ou ouviu) uma estrada musical? Se não, veja aqui ou aqui.

Sabe aquelas ranhuras tipo lombada que tem nas rodavias? Em Lancaster, Califórnia-EUA, uma agência de publicidade pavimentou uma avenida com essas ranhuras, que criavam um som quando um carro passava por cima. A música era “The Lone Ranger”, um trecho da ópera de William Tell, de Rossini.  A idéia foi usada no comercial para o Honda Civic, nos States. O legal é que dependendo da velocidade que o carro passa, a melodia fica mais lenta ou mais rápida.

Os moradores da cidade não gostaram e a prefeitura teve que voltar atrás e pedir a retirarada do efeito. Motivo: a estrada musical ficava muito perto das casas e é compreensível que os vizinhos ficassem cheios de ouvir a melodia toda hora. =/

Mas imagina, você viajando numa rodavia e de repente uma placa: “Atenção, 9ª Sinfonia de Beethoven” à 200m” hahaha. Massa.

Link: http://www.youtube.com/watch?v=LJgCLq4Qo6A&e

Update: Pelos vídeos relacionados no youtube descobri que no Japão também tem estradas musicais, como forma de atração turística. Confira.

Via Ad me


Páginas

Twittadas

Flickr Photos

Comentários recentes

Lya em Treinando o listening
Lilian em Dobraduras de Papel
kumar em Actions Photoshop

A galera gosta